Conheça todo o nosso trabalho social.

... Site ... Facebook ... Twitter ... Youtube ...

Nosso WhatsApp: 11 9 7291-4436

quinta-feira, 23 de fevereiro de 2017

Documentário sobre mulheres da periferia estreia no dia 8 de março



Filme "Nós, Carolinas" questiona invisibilidade de moradoras das margens da cidade de São Paulo


No Dia Internacional da Mulher, 8 de março, quarta-feira, às 19h, o coletivo Nós, mulheres da periferia, formado por comunicadoras que promovem narrativas sobre ser mulher nas margens da cidade de São Paulo, realizará na Galeria Olido a pré-estreia do vídeo "Nós, Carolinas". Este é o primeiro documentário realizado pelo grupo e apresenta vivências de mulheres moradoras de quatro regiões diferentes da capital paulista. Após o lançamento, o curta entra em circuito durante o mês de março em diferentes regiões do município.

Durante a exibição do vídeo, o público transita entre bairros e experiências de vidas relatadas em primeira pessoa. Racismo, solidão, maternidade e a busca da autoestima são alguns dos temas levantados sobre as condições de ser mulher, negra e periférica. As entrevistadas, que têm entre 18 e 93 anos, embora possuam trajetórias diferentes, estão conectadas por elementos cotidianos, como os impactos do machismo e  desigualdades raciais e sociais ainda presentes no Brasil. 

"A nossa proposta foi de ouvir e partilhar histórias pessoais que são ignoradas ou desvalorizadas. Para nós, o processo de empoderamento passa necessariamente pela ocupação do lugar de fala. E a nossa busca é não nos acomodar em rótulos, estereótipos, reconhecendo  a diversidade do universo feminino nas periferias", explica Bianca Pedrina, jornalista e cofundadora do Coletivo Nós, mulheres da periferia.

Sem a pretensão de representar as mulheres da periferia de forma única, o nome "Nós, Carolinas" homenageia Dona Carolina, uma das entrevistadas e personagem do documentário,  e faz menção honrosa à escritora Carolina Maria de Jesus, autora do célebre livro "Quarto de Despejo – o Diário de uma Favelada".

As mulheres apresentadas fizeram parte do projeto Desconstruindo Estereótipos, realizado pelo coletivo em 2015, durante oficinas sobre a representação das mulheres moradoras das periferias na grande mídia.  No final do mesmo ano, o coletivo lançou no Centro Cultural da Juventude (CCJ) a exposição multimídia Quem Somos [Por Nós], que incluiu uma série de entrevistas, a partir das quais, como uma segunda etapa deste projeto, foi criado o documentário. Ambos os projetos foram financiados pelo VAI (Programa de Valorização às Iniciativas Culturais) da Secretaria Municipal de Cultura da Prefeitura de São Paulo.

Após a pré-estreia, o Coletivo Nós mulheres da periferia realizará um circuito de exibição do documentário em diferentes regiões da cidade, incluindo Cidade Tiradentes e Guaianases, na zona leste, Parque Santo Antônio, na zona Sul; Jova Rural, zona norte e Perus, região noroeste, os bairros das protagonistas Carolina Augusta, Joana Ferreira, Renata Ellen Soares e Tarcila Pinheiro.

Serviço:

Pré-estreia do documentário "Nós, Carolinas"
Data: 8/3, às 19h.
Local: Galeria Olido –  Av. São João, 473 – Centro, São Paulo

Circuito
11/3 – Centro de Formação Cultural da Cidade Tiradentes – Cidade Tiradentes
16/3 – CIEJA Campo Limpo – Parque Santo Antônio.
18/3 –  Biblioteca Cora Coralina – Guaianases
24/3 – Biblioteca Padre José de Anchieta – Perus

Sinopse
Uma senhora cheia de memórias sobre o interior de São Paulo. Uma menina que se orgulha de seu cabelo black-power. Uma mulher que voltou a estudar depois dos 50 anos e uma arte-educadora que dribla o tempo para conciliar maternidade e sua vida pessoal. Todas elas unidas por uma mesma geografia: a periferia da cidade de São Paulo. "Nós, Carolinas" traz as vivências e vozes de quatro mulheres que moram em diferentes bairros: Parque Santo Antônio, zona Sul; Jova Rural, zona norte; Perus, região noroeste e Guaianases, na zona leste. Joana Ferreira, Carolina Augusta, Renata Ellen Soares e Tarcila Pinheiro falam o que é ser mulher da periferia em cotidianos particulares, mas conectados pelo recorte de classe, raça e de gênero.  Assim como a escritora Carolina Maria de Jesus, que encontrou na escrita um instrumento para superar sua invisibilidade, essas outras Carolinas também invisíveis aos olhos do centro, usam a potência de sua voz para romper silêncios.

Ficha Técnica

Título Original: Nós, Carolinas
Gênero: Documentário
Tempo de Duração:  17 minutos
Ano de Lançamento (Brasil): 2017

Direção/Roteiro/Produção:
Coletivo Nós, mulheres da periferia
Aline Kátia Melo
Bianca Pedrina
Jéssica Moreira
Lívia Lima
Mayara Penina
Regiany Silva
Semayat Oliveira

Classificação: Livre

Imagens
Daniele Menezes
Elis Menezes
Edison Rodrigues Galindo Júnior
Naná Prudêncio
Vinícius Bopprê
Yasmin Santos

Edição, Montagem e animação
Ananda Radhika

Videografismo e direção de arte
Regiany Silva

Trilha sonora
Mulher do Fim do Mundo (Elza Soares)

Curadoria musical
Ananda Radhika

Entrevistadas
Dona Carolina Augusta de Oliveira
Joana Ferreira de Carvalho
Tarcila Pinheiro
Renata Ellen Soares Ribeiro


Enviado por NossaSP em qui, 23/02/2017 - 15:14


terça-feira, 21 de fevereiro de 2017

8º Fórum Mundial da Água - Pessoas do mundo todo podem ajudar a definir os debates



 

Pessoas do mundo todo podem ajudar a definir os debates do 8º Fórum Mundial da Água

 

Pela primeira vez, o maior evento mundial sobre água vai acontecer no hemisfério Sul. O 8º Fórum Mundial da Água será em Brasília, em março de 2018, mas pessoas do mundo todo já podem sugerir temas de discussão, trocar ideias e experiências em uma plataforma online desenvolvida para ampliar o acesso ao Fórum, em uma iniciativa inédita

 

A partir do dia 13 fevereiro, pessoas do mundo todo já podem começar a participar do 8º Fórum Mundial da Água, cujo tema será Compartilhando Água, e contribuir para preparar o evento, que acontece de 18 a 23 de março de 2018, em Brasília. Iniciativa inédita do Comitê Diretivo Internacional do Fórum, a plataforma Sua Voz foi criada para favorecer o amplo debate sobre os temas centrais do evento e está disponível no site do 8º Fórum Mundial da Água.

 

A ferramenta permite que cidadãos de qualquer lugar do planeta com acesso à internet compartilhem ideias, experiências e soluções e façam sugestões que poderão ser incluídas no encontro mundial. Os diálogos vão acontecer em salas de discussões com seis diferentes temas: clima, desenvolvimento, ecossistemas, finanças, pessoas e urbano.

 

Os participantes têm a oportunidade de expressar suas opiniões e contribuições para enriquecer os debates sobre os rumos da gestão da água no mundo em três rodadas de discussões, que vão durar oito semanas cada. A primeira etapa da consulta pública começa dia 13 de fevereiro e será encerrada em abril. Em seguida, haverá uma votação mundial para identificar as questões mais relevantes a respeito da água. As discussões online são coordenadas pela Agência Nacional de Águas (ANA) em articulação com o Secretariado e demais instâncias de organização do Fórum.  

 

Cada sala temática vai contar com três ou quatro moderadores, sendo ao menos um brasileiro. Na temática do clima serão abordadas segurança hídrica e mudanças climáticas. Quando o tema for pessoas, as discussões serão em torno de saneamento e saúde. A água no contexto do desenvolvimento sustentável estará em pauta na sala sobre desenvolvimento. No tema urbano, a gestão integrada da água e dos resíduos urbanos conduzirá os debates. Na sala sobre ecossistemas, os fios condutores serão a qualidade da água e a subsistência e biodiversidade dos ecossistemas. Também haverá uma sala dedicada a discutir mecanismos de financiamento para o setor.

 

A plataforma Sua Voz estará disponível em português e inglês no site http://www.worldwaterforum8.org/ e contará também com tradução para mais 90 idiomas de modo a facilitar a participação de pessoas da maioria dos países do mundo. O objetivo é fazer do 8º Fórum Mundial da Água um evento plural e democrático, em alinhamento com o tema da próxima edição: "Compartilhando Água".

 

Tradicionalmente o Fórum conta com a participação dos principais especialistas, gestores e organizações envolvidas com a questão da água no planeta. Com a plataforma Sua Voz, o Comitê Diretivo Internacional do Fórum pretende trazer para o evento as contribuições de toda a sociedade, inclusive das vozes não ouvidas usualmente, já que a água está presente na vida de todos.

 

O Fórum Mundial da Água acontece a cada três anos com os objetivos de aumentar a importância da água na agenda política dos governos e promover o aprofundamento das discussões, troca de experiências e formulação de propostas concretas para os desafios relacionados aos recursos hídricos. Será a primeira vez que o maior encontro mundial sobre água vai acontecer no hemisfério Sul.  

 

O 8° Fórum é realizado e organizado pelo Governo Federal, por meio do Ministério do Meio Ambiente, Governo do Distrito Federal e Conselho Mundial da Água, com apoio da Agência Nacional de Águas (ANA) e da Agência Reguladora de Águas, Energia e Saneamento Básico do Distrito Federal (Adasa). As edições anteriores do Fórum Mundial da Água aconteceram em Marraquexe, Marrocos (1997); Haia, Holanda (2000); Quioto, Shiga e Osaka, Japão (2003); Cidade do México, México (2006); Istambul, Turquia (2009); Marselha, França (2012); e Daegu e Gyeongbuk, Coreia do Sul (2015).

 

Siga o Fórum nas redes sociais:

 

• Facebook: fb.me/WorldWaterForum8

• Twitter: https://twitter.com/WaterForum8

 

 

 

Mais Informações

Secretaria do 8º Fórum Mundial da Água

Fones: (61) 2109-5640

E-mail: contact@worldwaterforum8.org

 

 

 


*Veja FAQ em anexo!

Perguntas e Respostas sobre a plataforma SuaVoz - consultas on-line do Processo Preparatório do 8º Fórum Mundial da Água
1. O que é a consulta on-line SuaVoz? E qual o objetivo?

É uma consulta on-line do processo preparatório do 8º Fórum Mundial da Água que vai acontecer em Brasília de 18 a 23 de março de 2018. O uso dessa ferramenta é uma inovação com relação às edições anteriores, pois amplia e facilita o acesso das pessoas a discussões referentes à grade de temas do evento. Essa consulta é necessária e torna o encontro mais democrático, pois se trata do maior evento mundial de discussões sobre os desafios e oportunidades relacionados à gestão da água no mundo. Durante o evento chegam a ocorrer mais de 200 debates e palestras. Portanto, o objetivo é dar voz a todos os segmentos da população, em especial áqueles que, em geral, não contam com os meios e contatos adequados para serem ouvidos. É importante ressaltar que a consulta on-line não elimina a necessidade de reuniões presenciais, mas oferece a possibilidade de que essas reuniões contem com contribuições de um público diverso.

2. Quem pode participar das consultas? E como?

Qualquer pessoa com acesso à internet, em qualquer parte do mundo, pode participar da consulta on-line. Basta que acesse o site do 8º Fórum e faça o credenciamento. A partir desse credenciamento, a pessoa escolhe em quais entre as seis salas de discussão gostaria de participar dos debates e passa a interagir com os demais interessados, com o apoio de moderadores treinados. A ferramenta de suporte à consulta on-line está preparada para receber contribuições em até 90 idiomas dentre aqueles mais falados no mundo.


3. Pessoas sem conhecimento técnico podem participar? Como elas podem contribuir?
Não há necessidade de nenhum tipo de formação ou de especialização para participar da consulta. As pessoas podem contribuir com suas visões ou experiências pessoais sobre os temas tratados, respondendo às perguntas previamente estabelecidas e oferecendo suas opiniões, depoimentos, sugestões e exemplos.

4. Por que foram selecionados esses seis temas:clima, desenvolvimento, ecossistemas, finanças, pessoas e urbano?Qual foi o critério?

Eles correspondem aos seis temas centrais da grade temática do 8º Fórum, definida pelas instâncias decisórias após consultas feitas à comunidade internacional de recursos hídricos. O Fórum Mundial da Água tem uma preocupação bastante abrangente sobre as questões relacionadas à água. Além disso, procura alinhar as discussões com os debates travados em
edições passadas, de forma a atualizar os debates. Esses seis temas são subdivididos em vários subtemas, como forma de abranger o maior número possível de assuntos relativos a água. Além disso, a organização do evento definiu três tópicos transversais, ou seja, que permeiam todos os temas: governança, compartilhamento e capacitação.

5. Que tipo de contribuições são esperadas? Exemplos?

Foram formuladas perguntas-chaves para os temas e subtemas. As respostas e seus argumentos certamente suscitarão discussões e trocas de informações e opiniões entre os participantes, num processo aberto e participativo mediado pelos especialistas que serão os moderadores em cada sala temática. Poderão, ainda, a critério desses moderadores, serem oferecidos exemplos exitosos em cada tema tratado, ou propostas de abordagens desses temas na grade temática do 8º Fórum Mundial da Água.

6. Que tipo de interação a plataforma permite? Os eventos terão hora marcada ou basta registar sua participação?

Serão aproveitadas as participações online, que poderão se referir às perguntas formuladas em cada discussão, ou às respostas e contribuições oferecidas em comentários entre os participantes. Recomenda-se que seja utilizada linguagem simples e direta, já que serão utilizados aplicativos de tradução automática. A plataforma permite a troca de arquivos magnéticos de textos e/ou imagens, cujo envio e distribuição deverá ser orientado pelos moderadores. Os comentários podem ser postados a qualquer hora e serão respondidos periodicamente pelos moderadores.

7. Todos os participantes vão receber retornos sobre suas sugestões?

É de se esperar que um processo de consulta online aberto a todos os interessados venha suscitar um número muito expressivo de participantes, podendo chegar a milhares de opiniões/contribuições em um curto intervalo de tempo. Nesse cenário, não é razoável imaginar que as colocações serão respondidas individualmente pelos moderadores das salas de discussão. A esses caberá organizar as manifestações segundo a pertinência frente à temática em discussão e às diferentes visões apresentadas e dar retorno nesse contexto, construindo assim os próximos passos da discussão. Ao final da consulta os moderadores de cada sala de discussão apresentarão um resumo das sugestões recebidas, além de um rol de questões selecionadas para serem encaminhadas aos responsáveis pelo processo de organização do Fórum.

8. Como será feita a seleção das questões que farão parte as discussões do Fórum?

Os moderadores das salas de discussão farão a seleção das questões mais relevantes e recorrentes em cada uma das salas temáticas. Caso o número de questões selecionadas seja muito grande, fica facultada a possibilidade de votação para a escolha dos mais relevantes para a população.

9. Como as pessoas que vão participar da consulta pública poderão acompanhar o Fórum Mundial da Água, caso não possam estar em Brasília em março de 2018? Haverá transmissão do Fórum via internet?

A organização do 8º Fórum Mundial da Água está estudando a possibilidade de transmissão de algumas sessões do Fórum via Internet (streaming). Além disso, espera-se poder oferecer aos interessados um resumo das principais sessões, que estará a cargo dos relatores dessas sessões.

10. Esse tipo de ferramenta já foi utilizado em outros eventos? Qual foi o resultado?

Esta ferramenta foi utilizada com êxito, entre outras, na Conferência das Nações Unidas sobre Desenvolvimento Sustentável e Meio Ambiente, realizada no Rio de Janeiro em 2012 e conhecida como Rio+20. A consulta contou com a participação de milhares de pessoas que contribuíram sobre dez temas específicos, inclusive o tema "Água". A partir de seus resultados, foi possível a organização de sessões presenciais, para cada tema, para a definição de questões que foram posteriormente encaminhados à consideração da Assembleia Geral da ONU. Desde então, essa plataforma de discussões online vem sendo empregada na preparação para diversos eventos, como o UN Habitat III. A ferramenta foi também instrumento fundamental para a realização da III Conferência Mundial de Trabalho Infantil, realizada em Brasília, em 2013.

11. Os participantes da consulta on-line estão contribuindo para que haja que tipo de encaminhamento com relação à água ao final do 8º Fórum Mundial da Água?

O Fórum busca promover a conscientização sobre as diversas dimensões da água em todo o mundo. Busca, ainda, construir compromissos políticos e induzir ações em temas críticos relacionados à água para facilitar a sua conservação, proteção, desenvolvimento, planejamento, gestão e uso eficiente, com base na sustentabilidade ambiental. Neste sentido, a participação da consulta contribuirá para a seleção de temas e questões mais relevantes para enriquecer o processo.



@digitalradiotv

INSCRIÇÕES ABERTAS até 03 de Março. Início do curso em 13 de Março!!

 



  Um ótimo curso !   Vale a pena !


A Secretaria Nacional de Políticas sobre Drogas (SENAD), em parceria com a Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP), abriu inscrições para 25 mil vagas da 11ª/12ª edição do Curso SUPERA - "Sistema para Detecção do Uso Abusivo e Dependência de Substâncias Psicoativas:  Encaminhamento, Intervenção Breve, Reinserção Social e Acompanhamento".

O curso SUPERA, totalmente gratuito, visa capacitar profissionais das Áreas da Saúde e Assistência Social discutindo diferentes modelos para a prevenção, intervenção e encaminhamento daqueles que apresentam problemas relacionados ao uso de álcool, crack e outras drogas.

A capacitação é desenvolvida na modalidade de Educação a Distância (EaD), com carga horária de 150 horas e tem duração de quatro meses com término previsto para 10 de Julho de 2017. Os alunos que concluírem o curso receberão um certificado de extensão universitária emitido pela Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP).

Para se inscrever e acompanhar o curso é necessário possuir acesso à Internet e comprometer-se a participar do curso até sua conclusão, caso seja selecionado.

Inscrições gratuitas: http://www.supera.senad.gov.br/@/inscricao/sup11-12

Para mais informações ou em caso de dúvidas acesse: http://www.supera.senad.gov.br

Equipe SUPERA



Tomas Vargas

@digitalradiotv

segunda-feira, 20 de fevereiro de 2017

Inscrições abertas para o curso de eletricista residencial



Estão abertas as inscrições para o curso de eletricista residencial.

O curso terá início no dia seis (06) de março de 2017.

O curso terá a duração de trinta (30) dias.

Será fornecido o certificado de conclusão a todos que terminarem o curso com condições de exercer  profissão.

Esta capacitação será de segunda a sexta feira das 09:00 hs. até as 12:00 hs.

Inscrições
Segunda, Terça e Sexta das 9hs as 10:30hs


Comunidade Santa Inês
Local:  R. Serra da Moeda, 370
Parque Cruzeiro do Sul


Outras informações podem ser adquiridas por whats app, somente mensagens de texto, através do seguinte número 9 7291-4436.

 Associação Beneficente aos Carentes Criativa de São Miguel Paulista e Adjacências.

CNPJ 14455660/0001-71.



www.ongcriativa.org


sexta-feira, 17 de fevereiro de 2017

Palestra sobre captação de recursos.

Foto - Grupo de participantes do encontro em 16-02-2017 - Salão São Francisco _ Portal São Francisco


Palestra sobre captação de recursos, ministrada pela Convidada Cristiane, da plataforma Engaja Brasil, orientando e esclarecendo dúvidas de  membros de OSCs do Terceiro Setor.


sábado, 11 de fevereiro de 2017

A Vista da Janela



O que você vê pela janela?

Dois homens, seriamente doentes, ocupavam o mesmo quarto em um hospital. Um deles ficava sentado em sua cama por uma hora todas as tardes para conseguir drenar o líquido de seus pulmões. Sua cama ficava próxima da única janela existente no quarto. O outro homem era obrigado a ficar deitado de bruços em sua cama por todo o tempo.

Eles conversavam muito. Falavam sobre suas mulheres e suas famílias, suas casas, seus empregos. E toda tarde, quando o homem perto da janela podia sentar-se, ele passava todo o tempo descrevendo ao seu companheiro as coisas que podia ver através da janela. Dizia que dava pra ver um parque com um lago bem legal. Patos e cisnes brincavam na água enquanto as crianças navegavam seus barcos de papel. Jovens namorados andavam de braços dados no meio das flores. Grandes árvores, cheias de elegância, completavam o cenário.

Quando o homem perto da janela fazia suas descrições, ele o fazia de modo primoroso e delicado, com detalhes, e o outro homem fechava seus olhos e imaginava a cena pitoresca.

Dias e semanas se passaram. Em uma manhã, a enfermeira chegou trazendo água para o banho dos dois homens, mas achou um deles morto. O homem que ficava perto da janela morrera pacificamente durante o seu sono.

Assim que julgou conveniente, o outro homem pediu à enfermeira que mudasse sua cama para perto da janela. A enfermeira ficou feliz em poder fazer esse favor para o homem e, depois de verificar que ele estava confortável, deixou-o sozinho no quarto.

Vagarosamente, ele se apoiou em seu cotovelo para conseguir olhar pela primeira vez pela janela. Finalmente, ele poderia ver tudo por si mesmo. Ele se esticou ao máximo, lutando contra a dor para poder olhar através da janela. Quando conseguiu fazê-lo, deparou-se com um muro branco.

Decepcionado, perguntou à enfermeira o que teria levado seu companheiro a descrever-lhe coisas tão belas.

E a enfermeira respondeu:

- Seu companheiro de quarto era cego. Ele imaginava o mundo daquela forma e lhe transmitia coisas boas a fim de distraí-lo e alegrá-lo.



Crie um cenário positivo.

2016 não foi fácil. 2017 promete não ser tão diferente.

Por pior que seja o cenário econômico do país, é importante tentarmos enxergar "atrás do muro" um cenário favorável às nossas ambições.

Não estou dizendo para sermos somente otimistas, sem os pés no chão. Mas para sermos realistas esperançosos. Ou seja: diante de uma realidade dura, o que pode melhorar, o que pode ser bom e proveitoso? Como se desenvolver nesse meio não favorável? Qual é o cenário que você quer ver no final de 2017?

Não perder a esperança, trabalhar positivamente (e com os pés no chão), ser perseverante e não deixar que o cenário negativo tire sua energia e fé na conquista.

É nas tempestades que percebemos que existem telhas quebradas! Assim, podemos planejar sua troca ao primeiro raio de sol. Em nossa vida é assim: as adversidades devem ser oportunidades de aprimorar sua vida profissional, pessoal, amorosa e financeira.

Aproveite cada problema. Encare cada um deles como um desafio que o coloca à prova! E vença-o.

Abraços inspiradores,
Marcio Zeppelini



É nas tempestades que percebemos
que existem telhas quebradas!
Marcio Zeppelini

quinta-feira, 9 de fevereiro de 2017

CTI tem cursos gratuitos para pessoas com e sem deficiência.





Imagem: Cursos do Centro de Tecnologia e Inclusão.



O Centro de Tecnologia e Inclusão é o primeiro centro tecnológico para pessoas com deficiência. Criado pela Secretaria de Estado dos Direitos da Pessoa com Deficiência de São Paulo.


Projeto Bibliotecas Acessíveis capacita bibliotecários
Ação faz parte do projeto "Bibliotecas Acessíveis", que aconteceu em 2016. Contrato foi assinado na Secretaria com a organização social Mais Diferenças, que venceu pregão eletrônico e irá realizar oito workshops.

Infraero disponibiliza canal de comunicação para melhoria no atendimento
A ação é especificamente voltada à melhoria no atendimento aos passageiros e usuários com deficiência ou mobilidade reduzida.

Memorial da Inclusão recebe exposição em homenagem aos 463 anos da cidade de São Paulo
A mostra apresenta releituras de monumentos paulistas por meio de 29 telas produzidas por pintores com a boca e os pés.

Curta e compartilhe #inclusãoSP
Secretaria de Estado dos Direitos da Pessoa com Deficiência
Governo do Estado de São Paulo
Facebook e Twitter: #InclusãoSP



NIC.br lança guias educativos sobre o uso ético, seguro e responsável da internet.


Imagem - Ilustração

Cada um dos guias utiliza recursos pedagógicos distintos, dependendo do público-alvo: pais, educadores, adolescentes ou crianças


Agência FAPESP – O Núcleo de Informação e Coordenação do Ponto BR (NIC.br), entidade que implementa as decisões e os projetos do Comitê Gestor da Internet no Brasil (CGI.br), disponibilizou para download guias educativos que ensinam a usar a internet de maneira segura, ética e responsável. Cada um dos guias utiliza recursos pedagógicos distintos, dependendo do público-alvo: pais, educadores, adolescentes ou crianças.

O material foi lançado em 7 de fevereiro, data em que se comemora o Dia da Internet Segura. As entidades que desejarem imprimir o material têm a opção de inserir sua marca como "apoio de impressão" e colaborar no compartilhamento desse conteúdo.

O #InternetcomResponsa traz alertas e instruções sobre a responsabilidade das atitudes nas redes em duas publicações: uma dedicada aos pais e educadores e outra exclusiva para adolescentes.

O guia Internet Segura oferece material para incentivar crianças de 8 a 12 anos a aprender a utilizar a rede com segurança e para instruir os pais e responsáveis sobre a melhor forma de orientar os filhos.

Por: AgenciaFapesp

sexta-feira, 3 de fevereiro de 2017

Participe do evento “Construção do Plano de Metas da Zona Leste”




O encontro tem por objetivo apresentar à Prefeitura de São Paulo as demandas da zona leste para o Plano de Metas 2017-2020.



Visando apresentar à administração municipal as demandas da zona leste para o futuro plano de metas da cidade de São Paulo, diversas organizações da sociedade civil e movimentos sociais – que participam da Rede Nossa Zona Leste – promoverão um evento no dia 13 de março próximo.

Organizado em parceria com a Rede Nossa São Paulo, o encontro denominado "Construção do Plano de Metas da Zona Leste" será aberto a todas as pessoas e organizações interessadas. 

Antes do evento, que acontecerá no Centro Pastoral São José do Belém, os promotores da iniciativa levantarão as prioridades da região leste da cidade – em cada Prefeitura Regional, Distrito e bairro –, que serão apresentadas à Prefeitura.

As organizações participantes buscam também abrir diálogo com a equipe que está elaborando o Programa de Metas da cidade e, assim, garantir que o plano contemple a construção de equipamentos, políticas públicas e melhorias para a zona leste.

A Prefeitura de São Paulo será convidada para o evento, onde conhecerá as prioridades da região e poderá comentar o processo de elaboração do Programa de Metas.

Cronograma e audiências públicas

A gestão municipal tem até o dia 31 de março para apresentar a versão preliminar do Plano de Metas (veja aqui a Lei das Metas). No mês seguinte (abril), devem ocorrer as audiências públicas, em que a população poderá apresentar suas sugestões de mudanças e de complementação.
 
A Prefeitura já se comprometeu publicamente a realizar 38 audiências públicas, sendo 32 regionais, cinco temáticas e uma geral.

Mobilização da zona leste

A gestão Kassab (2009-2012) cumpriu 55% de suas metas. Já administração Haddad (2013-2016) executou 58% dos compromissos previstos no programa, sendo que na zona leste apenas 49% das metas foram concluídas (menos da metade).

Esses são os motivos que levam as organizações e os movimentos sociais da região a se mobilizarem para ampliar, não só o número de metas que contemplem a zona leste, mas também a sua execução, para que a população local receba mais equipamentos, políticas públicas e serviços.

Serviço:
Evento "Construção do Plano de Metas da Zona Leste"
Data: 13 de março de 2017
Horário: das 19h00 às 21h30
Local: Centro Pastoral São José do Belém
Endereço: Rua Álvaro Ramos, 366 (próximo à Estação Belém do Metrô).


Enviado por NossaSP.
 

Reunião dos Catadores do Fórum para o Desenvolvimento da Zona Leste.


Imagem_Arquivo

PARA CONHECIMENTO E DIVULGAÇÃO
 

 Data:04 de fevereiro de 2017 - sábado
 Horário:14:00hs 
 Local: SESC Itaquera 
 
Espaço: Benfeitores da Natureza

Pauta
 
     14:00h-14:30h - Informes: Conselho Gestor e Fundo Paulistano + Auditoria + Reunião com Secretária Soninha Francine + Reunião com MP
 
       14:30h-15:00h - Atividades SESC - Encaminhamentos e Adesão
       15:30h-16:30h - Dimensionamento de ações propositivas para a gestão municipal
       16:30h-17:00h - Encaminhamentos e Encerramento

 Lembrete: avisar na Portaria que irá participar da reunião "Coleta Seletiva" para ter acesso ao Estacionamento
 
Quaisquer dúvidas entrem em contato:
Amanda ou Viviane - Programação - SESC Itaquera - 11 25239353
Angelo Iervolino - Diretor de Meio Ambiente do FDZL - 11 947943893
Delaine Romano - Coordenadora "Programa Coleta Seletiva Zona Leste Faz" - 11 983431919


Por: Digitalradiotv



Fórum Municipal de Defesa dos Direitos da Criança e Adolescente de São Paulo, Sábado, 04 Fevereiro 2017.




"Lembrete"!


Quando
Sábado, 04 Fevereiro 2017
09:30 AM para 01:30 PM
(GMT) Hora de Greenwich - Dublin / Edimburgo / Lisboa / Londres

Onde
ATENÇÃO: sempre envie e-mail para a comissão para saber o local do fórum (Vilma Goiana: vil.k@hotmail.com ou Dr.a Tatiane Cardoso: tatianecardoso@adv.oabsp.org.br), ATENÇÃO: sempre envie e-mail para a comissão para saber o local do fórum (Vilma Goiana: vil.k@hotmail.com ou Dr.a Tatiane Cardoso: tatianecardoso@adv.oabsp.org.br), São Paulo/SP

Observações
FMDCASP - Fórum Municipal de Defesa dos Direitos da Criança e Adolescente de São Paulo Convida a todos a participar das plenárias realizada no primeiro sábado de cada mês em lugares diferentes, mas a maioria dos Fóruns são realizadas na Câmara dos Vereadores do Município de São Paulo. Mas, por favor, sempre envie e-mail para a comissão para saber o local do fórum. Vilma Goiana: vil.k@hotmail.com Tatiane Aparecida Silva Cardoso: tatianecardoso@adv.oabsp.org.br


De
sociedade_solidaria